Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

BILOCAÇÃO É POSSÍVEL?




Em síntese: A Filosofia ensina que a bilocação circunscritiva ou local e física é totalmente impossível; seria a negação da distinção de SIM e NÃO. No caso de Santo Antonio pode-se admitir outro tipo de milagre, ou seja, um fenômeno de retina; os irmãos terão visto o Santo a eles presente de maneira psicológica ou mentalmente apenas.
A historiografia atribui a Santo Antônio de Lisboa dois casos de bilocação. Muitos leitores perguntam como terá sido possível. A seguir, proporemos o relato do fenômeno, ao que se acrescentarão considerações filosófico-teológicas.
1. Falem os cronistas
Eis os dois relatos que vêm ao caso:
"Entre os relatos extraordinários da vida de Santo Antônio, existem referências a duas bílocações, ambas ocorridas no sul da França. A primeira foi registrada na noite de Quinta-feira Santa, quando ele pregava em uma igreja dedicada a São Pedro. Na mesma hora, a comunidade dos irmãos do convento onde frei Antônio residia celebrava um ofício religioso, no qual ele devia dirigir uma reflexão à comunidade.
Quando chegou o momento estabelecido, o santo se fez presente no meio dos irmãos e dirigiu-lhes a palavra. Todos ficaram profundamente comovidos, porque sabiam que, naquele momento, frei Antônio estava na igreja de São Pedro. Segundo as biografias, enquanto dirigia as palavras aos irmãos, ele se manteve em silêncio diante do povo reunido na igreja de São Pedro. Ao término da reflexão, ele desapareceu, deixando seus confrades atônitos.
Algo semelhante se deu em Montpellier. Na ocasião, Santo Antônio pregava em uma festa solene, à qual estavam presentes diversos religiosos e fiéis. Ao iniciara homilia, ele se lembrou de que devia estar presente à celebração comunitária dos frades. Com efeito, era costume que, de acordo com a escala, os frades cantassem o Aleluia. Justamente naquele dia Santo Antônio fora designado para a tarefa.
Enquanto lamentava o esquecimento, permaneceu em silêncio. Então abaixou a cabeça e cobriu-a com o capuz. Nesse exato momento, ele apareceu no meio dos frades, cantando o Aleluia na celebração conventual.
Enquanto isso em Montpellier, permaneceu silencioso perante o povo; em seguida, retomou o sermão interrompido, que concluiu de modo brilhante". (Mensageiro de Santo Antônio, abril 2006, pp. 6s).
2. Que dizer?
Proporemos três observações:
2.1. Fatos históricos reais?
Antes do mais, seria preciso averiguar se os dois relatos acima são fidedignos ou têm fundamento real. Sabe-se que os antigos e os medievais se compraziam em ler façanhas portentosas atribuídas aos Santos. A crítica recente tem trazido à tona vários casos de fantasia elaboradora de relatos fictícios na Hagiografía. A averiguação da historicidade dos relatos atrás narrados é de importância fundamental.
2.2. Multilocação física?
A Filosofia ou a sã razão ensina o seguinte:
A multilocação circunscritiva ou local é metafisicamente impossível. Com outras palavras: um corpo não pode estar, ao mesmo tempo, fisicamente presente em dois lugares diferentes. A razão disto é que não se pode admitir que uma determinada superfície seja maior do que ela mesma; mas, no caso da multilocação corporal, tal superfície deveria ser maior do que ela mesma, pois a localização circunscreve exatamente a superfície do corpo localizado; nada deste fica não localizado. Para que estivesse simultaneamente localizado em outro ambiente, a única superfície externa desse corpo deveria ser dupla e não única - o que é absurdo.
A multilocação não circunscritiva é possível, pois não se faz por quantidade física, mas por aplicação de virtude ou de atividade. Assim Deus pode estar em toda parte, porque não ocupa lugar e exerce sua ação criadora e conservadora em relação a todos os demais seres. Assim também é possível a real presença de Cristo em muitas hóstias consagradas, pois Cristo se faz presente na Eucaristia pela substância do seu corpo e do seu sangue, ficando intatos os acidentes do pão e do vinho; Cristo, por conseguinte, está presente em todas as hóstias consagradas mediante a quantidade e a localização do pão e do vinho. Visto que a localização do pão e do vinho consagrados se multiplica, a presença eucarística de Cristo se multiplica, havendo então multilocação não circunscritiva.
2.3. Uma possível explicação
Não é necessário negar o milagre nos dois casos relatados. Deus pode ter interferido de tal modo que na retina dos frades respectivos se formou a imagem de Santo Antônio, imagem à qual atribuíram a locução mencionada pelo relator. - Sem dúvida, esta explicação supõe algo de muito extraordinário, mas é a única plausível para elucidar o fenômeno da "bilocação" de Santo Antônio. - Dizendo isto, não estamos cedendo ao racionalismo, pois admitimos milagres. Contudo a bilocação, o círculo quadrado, o triângulo redondo, não são realidades milagrosas porque nem são realidades; são conceitos contraditórios, que não podem ter existência.

Santo Antônio continua a ser um grande Santo mesmo sem o fenômeno da billocação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”