Total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Transformação espiritual

 
A,E,I,O,U da transformação espiritual

A - AMAR
Não há transformação sem amor.
A santificação é um caminho para a deificação, pois a Vida, de que fala Cristo, é ficarmos em Deus, um só com o Pai (Jo 17,23) na Santíssima Trindade. Por isso o nosso destino é sermos transformados em amor, para ficarmos para sempre no Amor.
Nesta via da santificação há pois uma troca de amor.
Amor da parte de Deus, que nos transforma pela acção do Espírito Santo, mas amor, sobretudo da nossa parte, pois, podemos fazer tudo, ser tudo, que se não tivermos amor, isso de nada vale (1Cor 13,1).
Amor a Deus e aos outros, pois mente quem diz que ama a Deus que não vê, mas não ama o seu irmão que está ao seu lado (1 Jo 4,20).
Também "A" de arrependimento, e de forte conversão. Este é o ponto de partida para a santificação. Como consequência vem o perdão, perdão a nós mesmos, perdão a quem nos ofendeu.
Outro "A" é uma consequência da transformação: a alegria. Quem ama a Deus não pode ser triste, pois Deus é Alegria. Muitos cristãos são serumbáticos e de cara fechada, porque ainda não se encontraram verdadeiramente com Jesus Cristo. Peçamos ao Espírito Santo que nos dê um carácter espiritual forte, determinado e alegre. A alegria é o perfume do Espírito e, só por si, o testemunho mais eficaz.

E - ENTREGA
Não há transformação sem entrega. Assim como o barro se entrega ao oleiro e se deixa moldar, assim nos devemos entregar ao Espírito Santo para nos deixar transformar. Cristo entregou-se sem condições à vontade do Pai. Resistiu às tentações do demónio e o Espírito fê-lo vencer a morte.
A disciplina, o cumprimento dos ensinamentos da Igreja, o jejum, a oração, a instrução religiosa, tudo é importante, mas não devem ser encarados como uma mais valia ou um enriquecimento do nosso "curriculum espiritual". Não devemos confiar demasiado nas nossas forças, mas sim entregarmo-nos ao Espírito e pedir os dons essenciais para a nossa santificação. O Santo Pe Pio dizia "Abandonai-vos plenamente ao Coração de Jesus, como uma criança no colo da mãe".
Cristo disse "Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, jamais nele entrará” (Lc 18,16).
Maria, a Mãe que nos pega ao colo, dá-nos força quando fraquejamos na caminhada, como o fez com Seu Filho no caminho para o Calvário. Peçamos-lhe que nos ajude nesta via de transformação, e nos ensine a entrega, como ela fez.
Mas "E" também de entusiasmo. Um santo é um entusiasta de Cristo e das coisas de Cristo. Mesmo que não fale dEle, expira o Amor de Cristo.
Entusiastas por Cristo, para os outros, e para a Glória de Deus, não para si mesmos. Alguns falam entusiasticamente de Cristo, mas para se mostrarem e exaltarem a si mesmos, e não a Cristo.

I - INTIMIDADE
Não há transformação espiritual sem intimidade com Cristo. Os Santos são apaixonados por Jesus, e passam horas em namoro íntimo com Ele, sussurrando-lhe palavras de amor ao ouvido.
Este contacto com o Amor de Deus transforma-nos, e torna-nos mais belos física e espiritualmente. Os santos não precisam de cirurgia estética para ficarem mais belos. A sua beleza vem do coração, da intimidade com Cristo.
Cristo deixou-nos o maior tesouro: o Seu Corpo e Sangue, nos elementos mais simples, humildes e universais: o pão e o vinho. Não mais a separação Deus-Homem. Rompeu-se o véu do templo, e a Aliança Antiga passou a Nova para a eternidade, e é o próprio Jesus Cristo, presente na Eucaristia. Que maior intimidade poderemos ter com Ele, quando O temos nas nossas mãos, na nossa boca, no nosso coração?. "Mistério da fé" como diz o sacerdote no fim da consagração.
Peçamos ao Espírito Santo que nos dê essa fé, o dom de adorarmos e entrarmos em intimidade com Jesus Eucarístico.
Os Santos sabem como é importante para a transformação espiritual estar em intimidade com Jesus na Sua Paixão.
Adorar a Paixão de Cristo é uma via fortíssima e segura de transformação, pois na Sua Paixão, Jesus fez o que disse, não se ficando nas palavras. Deu-nos a Sua "aula prática" de amor por nós.
Santa Teresa de Jesus, tem no seu coração, que está em relíquia em Ávila, um golpe profundo semelhante ao golpe de Cristo quando a lança chegou ao Seu coração. Outros, como S Paulo, receberam os estigmas dos pregos, tal foi a intensidade com que entraram em intimidade com Cristo na Paixão. Foi uma Graça do Espírito Santo. Por isso podem dizer
" Estou pregado na Cruz" (Gal 2)
Há quem tenha dificuldade em aceitar a Paixão de Cristo. Argumentam com sensibilidade, psiquismo lábil, doenças nervosas, etc.
Temos que evitar o risco de não aceitarmos o Cristo verdadeiro dos Evangelhos, como o fez Pedro quando O chamou à parte (Mt 16,22) ou quando no Tabor, depois de ouvir Moisés, Elias e Jesus falarem da Paixão, não quis descer (Lc 9,28). Fazemos o papel de satanás, o próprio Jesus o disse (Mt 16,23). Cristo cura hoje o que lhe pedirmos com fé. Peçamos-lhe que nos cure desta fobia e que, mesmo entre lágrimas de dor, O adoremos na Sua Paixão, o adoremos pregado na Cruz.
Assim como Ele nos diz "Amo-te como tu és" peçamos que nos ensine a dizer-lhe "Amo-Te como Tu és", ou "amo-Te como Tu quiseste ser, e não como eu gostaria que fosses".

O - OBEDIÊNCIA
Não há transformação sem obediência.
Obedecer a quem? À Verdade. "Quem é da Verdade ouve-me a mim" disse Jesus a Pilatos (Jo 18,37). "O que é a verdade?" perguntou Pilatos.
Hoje sabemos onde encontrar a Verdade, temos a felicidade de a ter escrita nos Evangelhos. Também as Cartas de S Paulo, as Epístolas, e os Escritos dos Santos, em particular os dos primeiros séculos do cristianismo, nos ajudam a percebê-la.
A Verdade é o próprio Jesus. O Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14,6)
O que Ele fez, o que Ele disse, é a Verdade.
"Se fordes meus amigos cumpris os meus mandamentos" (Jo 15,14)
Todos os Santos sabem de cor a verdade, têm-na no fundo do coração, não esquecida, mas viva e actuante nas suas vidas.
Meditemos a Verdade, leiamos os Evangelhos, e deixemos a Palavra cair no nosso coração. Oremos com a Verdade.
Obedeçamos à Verdade. Isto não é uma afirmação teórica! Tem que ser bem real e prática nas nossas vidas, se quisermos trilhar este Caminho de acesso à Vida…

U - HUMILDADE
Esta é uma pequena batota ortográfica, mas, seguramente, não há transformação sem humildade. Peçamos ao Espírito Santo a humildade, o dom de praticar a humildade. Madre Teresa de Calcutá dizia que a humildade só se aprende humilhando-nos, passando pela humilhação. É algo de muito concreto, e muito difícil. Todos sabemos como é difícil vencer o orgulho, o nosso amor próprio. Demora muito tempo, é preciso pedir muito ao Espírito Santo, para nos transformar em criaturas dóceis. Crescer espiritualmente não é para cima, mas para baixo. "O maior de vós seja o menor" (Lc 22,26)
Pedro, João, tantos outros, tiveram de ser transformados na humildade para serem santos.
O próprio Jesus deu-nos o exemplo. Ele, que era de condição divina, aniquilou-se a si mesmo (Fl 2,9)
E morreu, inclinando a cabeça, às três da tarde, a maior das humilhações para um Deus.
Mas o Amor venceu a morte, para sempre!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”