Total de visualizações de página

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Um Casal Santo


Um Casal Santo - Luigi e Maria Beltrame Quattrocchi

Luigi e Maria Beltrame Quattrocchi primeiro casal beatificado pelo papa João Paulo II, testemunham através de uma vida familiar simples e intensa, que a santidade se constrói no cotidiano.
No dia 21 de outubro, aconteceu um fato histórico: pela primeira vez, houve a beatificação, não de um bispo nem de um padre ou de uma freira, e sim de um casal. Os dois juntos! Luigi e Maria Beltrame Quattrocchi são, desde então, apresentados a toda a comunidade eclesial como modelo de santidade no matrimônio.
Os dois nasceram no fim do século XIX e sua vida estendeu-se por toda a primeira metade do século seguinte: Luigi faleceu em 1951 e Maria em 1965. Casaram-se em 1905, em Roma, onde fizeram os estudos universitários: Luigi, direito, Maria, contabilidade. Luigi fez uma carreira brilhante e chegou a ser vice-advogado geral do Estado italiano, além de consultor legal de grandes empresas e bancos. Maria, junto com os estudos comerciais, recebeu uma formação humanista sólida e diversificada, que a ajudou a desenvolver uma notável personalidade de escritora: publicou doze obras sobre família, formação espiritual dos filhos e espiritualidade. Nestas, atingiu um nível de autêntica experiência contemplativa.
Tiveram quatro filhos: o mais velho tornou-se sacerdote, a segunda entrou num mosteiro beneditino, o terceiro fez-se monge trapista. A quarta filha nasceu como fruto da decisão heróica do casal, que recusou a proposta de aborto do ginecologista, para salvar a mãe. Ela ficou em casa e acompanhou os pais, e sobretudo a mãe, até o último instante. As vocações dos filhos desabrocharam na mais absoluta liberdade, nunca propostas, mas fruto do clima evangélico que se vivia na família.
No caminho espiritual de Luigi e Maria, foi determinante a presença de alguns diretores espirituais, entre eles o pe.Garrigou Lagrange, grande mestre de teologia, ascética e mística. A participação regular em retiros e cursos de cultura religiosa contribuiu muito para sua formação.
Participavam juntos da Missa diária; em casa havia momentos de oração comum (de manhã, às refeições, à noite) com o terço e o alimento da Palavra de Deus. A família foi consagrada ao Sagrado Coração e, a cada mês, todos participavam da "hora santa” em casa.
Essa riqueza espiritual abria-se em caridade e apostolado em todos os ambientes. Foi escrito que a casa Beltrame tinha-se tornado uma clínica 24 horas para o espírito e o corpo. Luigi colocava a disposição de muitas pessoas suas extraordinárias capacidades profissionais e o prestígio adquirido nos mais altos níveis, para socorrê-las com o conselho, o conforto e a ajuda. Quando na Itália começou o escotismo, Luigi " em plena sintonia com Maria " intuiu logo sua importância formativa e tornou-se um dos primeiros promotores. É difícil medir o alcance de seu discreto e ativo apostolado de ambiente, porque só Deus sabe quantos colegas e amigos, delicadamente impulsionados e acompanhados por ele a reuniões e encontros com ilustres mestres espirituais, acabaram por achar o caminho da fé.
Maria, dedicadíssima a seus deveres de mãe e "rainha da casa", encontrou tempo e energias para suas atividades de escritora e de apostolado, apoiando o nascimento da Universidade Católica e integrando o Conselho Central da União Feminina Católica Italiana. E ainda: foi enfermeira voluntária da Cruz Vermelha, catequista numa paróquia de Roma, animadora de grupos de movimentos de espiritualidade e vida familiar... Ninguém poderá contar os inúmeros colóquios e cartas com que conseguiu recuperar pessoas afastadas de Deus (entre eles, sacerdotes e religiosas) e animar espiritualmente muitas outras.
A santidade, através do testemunho deste casal, tornou-se mais próxima de todos.

Fonte:  Portal da Família

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”