Total de visualizações de página

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

PROGRAMAÇÃO PARA ORAÇÃO PESSOAL


PROGRAMAÇÃO PARA ORAÇÃO PESSOAL

Como todos nos sabemos, a oração pessoal é um elemento fundamental para o sustento e manutenção da vida espiritual. Junto com a Santa Eucaristia, é meio eficaz de conversão e santificação.
No mundo agitado de hoje, cheio de tantos obstáculos e desvios, e freqüente perceber que poucas pessoas mantêm uma disciplina orante pessoal.
Entre estes desvios e obstáculos da “vida moderna”, se encontram os prazeres imoderados da carne, sejam dos mas simples tidos como bons e justos, seja dos mais ávidos e pecaminosos. Esquecemo-nos facilmente das nossas obrigações de verdadeiros cristãos; daqueles que buscam realmente o cumprimento fiel dos deveres mais básicos e fundamentais, como preconiza a Santa Madre Igreja.
Estes fatos, tem verdadeiramente conduzido a muitos a percorrerem caminhos errados que frequentemente conduzem à perdição.
Portanto, é meu dever como cristão o de evangelizar em particular sobre este assunto já que, minha espiritualidade tem base essencialmente contemplativa e lembrando o alerta que nos faz o Apóstolo Paulo: “Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho! (1Cor 9,16).
Posto isto, passo humildemente a dividir com todos os quantos leem a este Blog, um pouco da minha própria experiência neste campo, tratando to tema em dois aspectos: A oração pessoal particular diária, e a oração para os “Tempos Fortes”, quando nos retiramos para o “Deserto” para oramos ao Senhor na prática de Retiro, ao que recomendo no mínimo a realização de dois por ano.

I ORAÇÃO PESSOAL DIÁRIA EM CASA OU CAPELA

1. DA AMBIENTAÇÃO E DA ESCOLHA DO LOCAL:

O ambiente em que você vai rezar, tem que ser escolhido com muito critério; Porque? Lá será o local em que você se reunirá diariamente com o Senhor. Ele deve ter, e eu diria, de certo modo “exige” algumas características muito pessoais e particulares, como por exemplo(em seu quarto): Ser local silencioso, arejado, isolado, privado, com espaço físico suficiente. É bom que você mantenha alguns sacramentais em especial, o Santo Crucifixo, a imagem de Nossa Senhora, nossa tão amada mãe, imagens de seus Santos intercessores, vela, água benta, etc,. É importante que o ambiente seja confortável. Utilize cadeira, almofadas banquinho, conforme lhe seja mas adequado.

Em Capela: Lá já dispomos do mais essencial; Jesus Sacramentado. É necessário pois, combinar com o responsável, um horário determinado, para que você não atrapalhe e nem seja atrapalhado por imprevistos de última hora. Nas capelas, geralmente existem acentos adequados, todavia se você quiser e puder, leve almofada ou uma cadeira portátil. Elas são leves e de fácil manuseio. Estes elementos são fundamentais pois auxiliam muito à imersão no clima de abertura e concentração para o exercício de uma boa oração.

2. DO HORÁRIO E PERÍODO DE ORAÇÃO:

Em casa geralmente é mas fácil estabelecer horário e período de oração e por isso é também mas fácil relaxar, aqui posto a palavra “relaxar”, no seu sentido negativo. Por esta razão, é necessário eu diria, uma disciplina “militar”, pois por mas que não desejemos, surgem alguns inconvenientes que precisamos observar: É preciso avisar aos seus familiares que você estará em oração durante aquele horário, é que como é obvio, só atenderá as prioridades e/ou emergências. Isso é claro, não vai impedir que outros elementos por razões também obvias, existam e resistam ao ambiente como por exemplo: movimento de pessoas próximo ao local, barulhos de toda natureza exteriores e interiores, alguns inconvenientes de ordem física, especialmente quando não estamos ainda acostumados e/ou exercitados a prática orante. É fundamental ter em mente que você precisa como ficou dito de disciplina.
O tempo de duração da oração deve ser no mínimo de 40 minutos/dia, que podem ser divididos em dois períodos de 20 minutos. Os horários mais adequados são geralmente ao amanhecer antes do trabalho, quando celebramos e recordamos a ressurreição do Senhor, e a tarde ou noite, quando do trabalho regressamos e louvamos a Deus pelo dia que nos concedeu. Não recomendo que se faça a oração antes de dormir, pois facilmente adormeceremos visto que nosso organismo já se esta preparando para o descanso rotineiro.
Após o jantar, feita a digestão, é um bom horário. Deixo bem claro que, a prática é o que leva a perfeição, portanto obedeça sempre aos horários que se comprometeu. É também obvio que imprevistos acontecem. Não se perturbe se por exemplo, você esqueceu por algum motivo a sua oração.
No dia e/ou horário seguinte, continue tranquilamente e cumpra o período determinado. Deus conhece muito mais do que nos mesmos as nossas limitações.

3. DA POSTURA ORANTE:

A postura orante deve sugerir um estado de conforto, onde o corpo e a mente possam estar bem dispostos para realizar uma oração concentrada, atenta e sossegada. Ao escolher o assento mais adequado, mantenha sempre a coluna ereta, lembrando a figura da letra 'L'. Esta postura ajudará não só na atenção necessária ao ato orante, mas também ao corpo, a circulação sanguínea e a ideal oxigenação, pois os pulmões estarão isentos de pressão ou compressão. A respiração deve ser suave, lenta e pausada, seu corpo deve permanecer imóvel, mas sem tensão. Há vários exercícios de relaxamento e silênciamento psicossomáticos que auxiliam bastante a este atento recolhimento. (No final exemplo de alguns)


II ORAÇÃO PESSOAL – EM RETIRO (TEMPOS FORTES)


1. DA AMBIENTAÇÃO E DA ESCOLHA DO LOCAL: EM RETIRO

No caso do Retiro em especial, é sempre mas fácil encontrar o ambiente adequado para o exercício orante. As casas de retiro já são por si só, ambientes de acolhimento, silêncio e disciplina. Nestas casas há sempre jardins arborescidos, locais sossegados e silenciosos onde já existe uma estrutura de acomodação adequada. Porém, se você é mais reservado, pode utilizar o seu quarto como local preferencial. Nesta estrutura inclusive, já existe pregadores para os dias determinados. Algumas pessoas tem dificuldade em seguir o ritmo de retiros temáticos. Neste caso, aconselho as estas pessoas informar ao organizador que você prefere seguir uma determinada modalidade. Quero deixar bem claro o seguinte: Se o retiro é temático, é bom que você esteja preparado para o tema e a forma de abordagem, a fim de evitar mal-estares e controvérsias que não raro sucedem quando não se está preparado. Se você é pessoa que se utiliza de Orientador Espiritual, sugiro que o consulte. Se deseja realizar um retiro com o próprio tema, é bom que não seja na época em que se está realizando naquele local que você escolheu, retiro temático, para evitar constrangimentos desnecessários já enunciados.
Em retiros não temáticos, é bem verdade que você está mais livre para se exercitar espiritualmente. Para tanto o local de oração exige do mesmo modo que em sua casa, um local adequado. Você pode por exemplo levar uma cadeira portátil para baixo de uma arvore, onde esteja sossegado e atentamente relaxado para iniciar sua oração. Nas casas de retiro também há capela, e esta disponível em horários determinados e você pode encontrar maior interiorização. O seu quarto como ficou dito, também pode lhe trazer maior recolhimento. É importante frisar que, está necessidade de adaptação é fundamental para que a oração flua de modo satisfatório, e que você possa realmente fazer uma experiência com Deus.

2. DO HORÁRIO E PERÍODO DE ORAÇÃO:

Aqui também há uma grande facilitação. Você provavelmente não vai enfrentar grandes dificuldades de horário. As casas de retiro já tem estabelecido o seu modo de funcionamento, de forma que você pode mais facilmente se adequar. As congregações Religiosas e as Ordens Monásticas, mantém uma rigorosa disciplina que deve ser respeitada pelo hospede. Nestes casos, é preciso se adaptar aos horários. Congregações religiosas fazem suas orações comunitárias em horário determinado. Isto não quer dizer que você não possa participar delas. A Santa Eucaristia geralmente é celebrada em dois horários: pela manhã antes do café, e a tarde. Nestes intervalos você vai intercalar com sua oração pessoal de 40 minutos. Sugiro que aqui você amplie este tempo para 1 hora, em dois períodos de 30 minutos. Após o almoço, existe a sexta, hora do repouso. Há pessoas que não conseguem por motivo pessoal, dormir durante este tempo que leva mais ou menos 2 horas. A estas pessoas, sugiro levar além dos seus sacramentais, um bom livro espiritual; uma biografia da vida de um santo, um estudo bíblico ou teológico enfim, o que mais se adequar a este instante para que você não se disperse durante este horário. Se você sentir necessidade de uma orientação espiritual, recorra a pessoa encarregada que tratará deste assunto junto ao superior(a). Se você tiver a graça de fazer um retiro em Mosteiro, aqui acentuo que o comportamento exigido é um pouco mais rigoroso. Os monges levam uma vida de profunda oração na contemplação da face de Cristo e dos carismas de seus Santos fundadores. Aqui você é convidado pela comunidade orações comunitárias, O Oficio Divino. Não se preocupe se você não conhece o rito. Geralmente é o monge hospedeiro que ficará encarregado de lhe instruir nas orações monásticas. Apenas para titulo de ajuda forneço a você o esquema geral destes horários: Horários do Ofício Divino:5:00 h - Vigílias 6:30 h - Laudes 11:45 h - Hora Meridiana (domingos às 11:45 h) 18:00 h - Vésperas com canto gregoriano (sábados às 17:00 h e domingos às 17:30 h) 19:15 h - Completas (Tomei aqui como base, O Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro). A titulo de curiosidade, informo que em alguns mosteiros, estes horários sofrem pequenas modificações em função de algumas variáveis próprias de cada um. Estes esquemas lhe serão apresentados logo do seu ingresso, de tal modo que você adequa a sua oração pessoal aos horários. De qualquer modo mesmo assim, a sua oração pessoal pode ficar em torno de 1 hora. Quanto ao período do retiro, aconselho o mínimo de três dias e o máximo de 7 dia. Os mosteiros em geral, só aceitam retirantes pelo prazo máximo de 7 dias.

3. DA POSTURA ORANTE:

A postura orante ´deve ser a mesma seguida em casa. Não faça alterações de horário a não ser que seja estritamente necessário. (ver tópico 3 anterior).

4. MÉTODOS DE ORAÇÃO:

Existem duas formas de rezar: A forma Vocal e a forma mental.

Oração Vocal:
Vocal do latim Vocale.
É aquele tipo de oração verbalizada, falada, que se exprime por meio da voz.
São as orações de formulários ou formulas verbais. Ex: Orações escritas, ladainhas, Santo Terço, etc.

Oração Mental:

Meditar do latim - Meditare. Significado: Voltar-se para o interior ao mais íntimo de si mesmo, desligar-se do mundo exterior, e ainda o Catecismo da Igreja Católica nos diz:“A oração é a vida do coração novo e ela deve nos animar a cada momento. Nós, porém, esquecemo-nos daquele que é nossa Vida e nosso Tudo. Por isso os Padres espirituais, na tradição do Deuteronômio e dos profetas, insistem na oração como “recordação de Deus”, despertar freqüente da “memória do coração”: É preciso se lembrar de Deus com mais freqüência do que se respira.” (confira inciso 2697).
Orar pressupõe um pensamento puro, um domínio da mente, que a pessoa ora tenta subtrair das impressões exteriores e do mergulhar do subconsciente, para fixá-la, centralizá-la em um ponto, onde se estabelece o contato com o Senhor da Glória, na paz e em silencio.

5. Métodos de Oração:

Oração vocal:

Vocal do latim Vocale.
É aquela que se reza vocalmente, ou seja, com a voz. Rezamos vocalmente de forma pessoal e comunitária. Como já ficou dito, são as orações de formulário, ou seja que tem uma formula escrita e dirigida à pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo da Virgem Maria dos Santos e Anjos, (ladainhas, Credo, Pai-Nosso a recitação do Santo Terço, etc.).

Oração Meditativa (Discursiva): (Método de Santo Inácio)

A meditação é, sobretudo uma procura. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã, a fim de aderir e responder ao que o Senhor pede. Para tanto, é indispensável uma atenção difícil de ser disciplinada. Geralmente, utiliza-se um livro, e os cristãos dispõem de muitos: as Sagradas Escrituras, especialmente o Evangelho, as imagens sacras, os textos litúrgicos do dia ou do tempo, os escritos dos Padres espirituais, as obras de espiritualidade, o grande livro da criação e o da história, a página do "Hoje" de Deus. Trata-se da escolha de uma verdade prática, uma passagem Bíblica desta forma: Após a invocação do Espírito Santo, tome a Bíblia, leia vagarosamente uma passagem do evangelho não muito grande até memorizá-la.(ver texto distribuído em anexo ). Logo após, feche suavemente seus olhos, repasse com a memória toda a passagem bíblica. Veja como é o ambiente que o autor sagrado descreve. Como que assistindo a um filme, repasse-a em sua mente, observe tudo, em especial Jesus; centre-se na sua Santa imagem e veja como ele dirige a palavra aos ouvintes. Quando encerrar o texto sagrado, ouça o que o Senhor tem a dizê-lo(a). Converse mentalmente com ele, fale o que estiver em teu coração. Encerre sua oração louvando e bendizendo ao Senhor.

Oração Contemplativa:

A oração contemplativa é um simples olhar sobre Deus no silêncio e no amor. É um dom de Deus, um momento de fé pura durante o qual o orante procura Cristo, se entrega à vontade amorosa do Pai e concentra o seu ser sob a ação do Espírito. Santa Teresa de Ávila define-a como uma íntima relação de amizade, «em que muitas vezes dialogamos a sós com Deus, por Quem sabemos ser amados».

Lectio Divina:

Esta oração é o método de oração pessoal monástico.
A leitura orante da Bíblia, ou LECTIO DIVINA , é um alimento necessário para a nossa vida espiritual. A partir desta oração, conscientes do plano de Deus e sua vontade, podemos produzir os frutos espirituais em nossa vida. A LECTIO DIVINA é deixar-se envolver pelo plano amoroso e libertador de Deus. Santa Teresinha do Menino Jesus dizia, em seu período de aridez espiritual, que quando os livros espirituais não lhe diziam mais nada, ela buscava no Evangelho o alimento da sua alma.

Oração de Jesus:

A Oração de Jesus, também chamada Oração do Coração, é uma oração curta cuja fórmula é orada de forma repetida. Ela foi amplamente praticada, ensinada e discutida através da história do Cristianismo Oriental pelos Padres do Deserto. As palavras exatas da oração variam da forma mais simples, como Jesus tende piedade à forma mais estendida: Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tende piedade de mim, pecador.

O Santo Terço:

Onde meditamos os mistérios desde a encarnação do verbo divino até sua ressurreição gloriosa.

6. OBERVAÇÕES FINAIS

O ato orante não é só preenchido por consolações e autos sentimentos. Há momentos de “negatividade”. Nestes momentos é necessário usar o discernimento, sabendo que nunca se deve parar de rezar. Os diversos métodos existentes, se adaptam a qualquer tipo de personalidade, portanto não há desculpa para para de rezar. São João da Cruz, grande místico e Doutor da Igreja nos adverte: Podem surgir durante a oração, por longo ou breve tempo os seguintes aspectos: Aridez, secura, frieza, desanimo. Mais é ai que nós temos que insistir e continuar nossa peregrinação rumo a Cristo.



Exercícios Respiratórios e de Relaxamento

Exercício Respiração Lateral
Em Pé ou Deitado
Deitamos a mão esquerda sobre o lado direito das costelas; depois, inspirando, levantamos o braço esquerdo, com o indicador esticado, por cima da cabeça. Esticamos o máximo possível o lado direito, apalpando interiormente o pulmão direito. Expiramos e deixamos cair o braço. Em seguida, esticamos o lado esquerdo, tratando de sentir o coração e o pulmão esquerdo. Expiramos novamente.
Fazer o exercício três vezes de cada lado.
Efeito: conscientização e ampliação dos dois pulmões e libertação de bloqueios. Combate problemas de postura e escoliose.
Imaginamos: "O coração e os pulmões trabalham de maneira sadia e normal."

Exercícios de Relaxamento

Introdução:
Estes exercícios podem ser aprendidos muito rapidamente, mas é
necessário alguma prática para ser efetivo. Deverá praticar pelo
menos 2 vezes ao dia por 10 minutos. Idealmente, deve ser feito em
um quarto de temperatura amena e ambiente tranquilo, na cama ou
em um sofá ou cadeira com apoio para a cabeça. Será útil ter
alguém que nos leia as instruções enquanto as fazemos, pelo menos
inicialmente. São 3 os elementos desta técnica, respiração, músculos
e imaginação.
Respiração:
1. Primeiro feche os olhos para não se distrair facilmente e se
necessário use **‘ear-plugs no caso de existir ruído.
2. Inspire pelo nariz e expire pela boca
3. Vagarosamente conte até 5 enquanto inspira, “1 e 2 e 3 e 4 e 5”.
Repita isto enquanto expira. Ajuda a regular e abranda o ritmo
respiratório.
Assim que o ritmo respiratório se tornar calmo e sereno avance para
a próxima fase.
Músculos:
Para ajudar a concentrar-se em como se sentem os músculos,
devemos fazê-lo por áreas.
1. Começando pelos pés, concentre-se em como eles se sentem.
Deixe-os relaxar, imagine que não os consegue mover por serem
muito pesados. Sinta o peso e o conforto repetindo “pesado e
confortável”.
2. Fazer o mesmo com as pernas, as coxas, subindo para as ancas,
barriga, costas, mãos, braços, pescoço e finalmente a face.
3. Concentre-se em cada área do corpo à vez. Após a face
concentre-se no corpo todo, como se sente pesado e confortável e
a tensão vai desaparecendo.
Imaginação:
Deverá estar agora, deitado(a) ou sentado(a) com os olhos
fechados, respiração lenta e regular e apreciando o conforto e peso
do seu corpo. Agora vamos afastar as ansiedades e preocupações da
mente de uma destas maneiras:
1. Imagine uma flor branca num fundo preto. Repare em casa
pormenor dessa flor, cada pétala, o seu contorno... Imagine o seu
cheiro. Se a mente começar a divagar, traga-a de volta à flor.
2. Relembre um momento da sua vida que associe com alegria,
tranquilidade, paz e conforto. Deverá ser uma memória específica
como estando deitado(a) na areia da praia, em férias, a gozar o
sol e descanso. Imagine-se de volta a esse momento. Procure
sentir novamente essa sensação, o conforto, a descontração,
sem nenhuma preocupação de nada que se passe no mundo ou
na sua vida.
Terminal:
Quando se sentir suficientemente relaxado(a) e tranquilo(a), abra os
olhos e alongue os músculos do corpo. Deverá sentir-se agora bem
mais calmo(a) e relaxado(a). Se a tensão voltar, deverá repetir esta
técnica desde o início.

*Protetor de ouvido contra som











 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”