Total de visualizações de página

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O Perigo das Seitas para os de fraca fé

O Perigo das Seitas para os de fraca fé

É bom que todos nós Católicos Apostólicos Romanos, tenhamos conhecimento para fins de orientação e aconselhamento, de como são é como se movimentam as seitas anti-cristãs no mundo secularizado e abalado pelas desordens sociais de nossos tempos. É nosso dever, combater frontalmente essas “entidades”, de forma a preservar os mais fracos na fé, de cair em erro muitas vezes irreversivel, colocando sua almas em extremo perigo.

Nos lembra S. Paulo:
Esses tais são falsos apóstolos, operários desonestos, que se disfarçam em apóstolos de Cristo, o que não é de espantar. Pois, se o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz,
parece bem normal que seus ministros se disfarcem em ministros de justiça, cujo fim, no entanto, será segundo as suas obras. Repito: não me queiram tomar por um louco. No mínimo, aceitai-me como tal, para que também eu possa me gloriar!” (2 Cor 13-15).
E ainda S. Mateus: Porque se levantarão falsos cristãos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos. (Mat-24,24)
Mas Quem é vulnerável a entrar para uma seita?
A. Todas as pessoas são vulneráveis. Mas como já dissemos, os fracos na fé.
Rico, pobre, educado, não-educado, velho, jovem, religioso, ateu, e etc,.
B. Perfil geral do membro em potencial de uma seita (alguns ou todos os itens seguintes)
1. Desiludido com estabelecimentos religiosos convencionais.
2. Intelectualmente confuso em relação a assuntos religiosos e filosóficos
3. Às vezes desiludido com toda a sociedade
4. Tem uma necessidade por encorajamento e apoio
5. Emocionalmente carente
6. Necessidade de uma sensação de propósito, um objetivo na vida.
  1. Financeiramente necessitado
Podemos e devemos ajudar as pessoas que caíram vítimas de alguma seita. Na carta de Tiago está escrito que devemos procurar ganhar aqueles que se desviaram da verdade:”Meus irmãos, se alguém fizer voltar ao bom caminho algum de vós que se afastou para longe da verdade, saiba: aquele que fizer um pecador retroceder do seu erro, salvará sua alma da morte e fará desaparecer uma multidão de pecados. (Tiago 5.19-20). Para isto, entretanto, é preciso que nós mesmos conheçamos profundamente nossa Bíblia bem como as doutrinas centrais do Cristianismo. Mais que isto, devemos ter uma vida de oração, em comunhão com Cristo, para recebermos dele poder, amor e moderação. A seguir vamos conhecer as principais seitas e suas características.
Não devemos nunca esquecer que na evangelização de qualquer pessoa, seja de uma seita ou não, o principal ingrediente é o amor. Sem ele não vamos levar ninguém para Cristo.
Algumas Seitas e suas características de atuação:
1. Seitas cristãs ou pseudo-cristãs (Testemunhas de Jeová, Mórmons, Luz do mundo, Adventistas, Assembleia de Deus, Batista, Amizade cristã, Igreja do Bom Pastor, etc...). Propriamente dito, as Assembleias de Deus não são uma seita, mas uma rede de comunidades Pentecostais independentes que respondem a direções de um conselho central. Contudo, no México estas comunidades assumem muitas características de uma seita na prática e costumam aderir radicalmente a seu pastor.
a) Adotam uma interpretação particular da Bíblia como única norma de vida. Seu texto se converte em arma de ataque e de defesa frente a estranhos. Costumam Memorizar "versículos-chave" para tanto. Não se preocupam muito com o contexto das citações e nem com a verdade histórica de suas afirmações.
b) Costumam desenvolver uma mentalidade de natureza fundamentalista. Seu fervor religioso nasce como reação a um mundo complexo e hostil que ameaça certos princípios qualificados como "intocáveis". Excluem o uso da razão de sua compreensão bíblica e caem facilmente na irracionalidade total. Sua argumentação frequentemente espelha medo e incerteza, já que desconhecem o diálogo e seu apego ao ditado pela seita raia o absurdo.
c) Proporcionam um ambiente de "poucos fiéis do povo escolhido". Segundo tal, o mundo os persegue porque somente eles têm permanecido fiéis ao que Deus quer. Isto provoca uma profunda
suspeita frente ao mundo externo à seita, estabelecem relações entre membros e não-membros e criam a ideia de que a salvação dos homens será possível apenas dentro dos estreitos limites da seita.
d) O líder ou fundador da seita é normalmente elevado ao nível de "profeta", de "ungido de Deus" ou de visionário. Facilmente exerce um poder absoluto sobre as consciências dos membros que veem nele um laço direto com Deus. O 'Irmão Samuel', Apóstolo da Luz do Mundo, e Gordon Hinkley, profeta dos Mórmons são exemplos típicos.
f) A seita faz o possível para ocupar todo o tempo livre dos seus membros. Abarrota-lhes de
reuniões, serviços, estudos e outras atividades que fazem com que a vida diária do adepto gire em torno da seita. Costumam proibir categoricamente qualquer contato com literatura ou programas não gerados pela mesma seita.
g) Sem exceção, as seitas cristãs e pseudo-cristãs ditam um código moral estreito que afetam todos os aspectos da vida de seus membros. A forma de vestir, a escolha dos esposos, a abstinência do fumo, da dança, da música... Tudo isso serve para separar do mundo os membros, dar-lhes uma identidade externa inconfundível, criar neles uma mentalidade de superioridade moral e reforçar em suas mentes a legitimidade da seita, já que lhes tira muito de seus maus hábitos anteriores. As Testemunhas de Jeová e Luz do Mundo são exemplos exagerados disso.
h) Muitas seitas criam uma forte expectativa em seus membros quanto ao fim do mundo e a segunda vinda de Cristo. Esta postura de milenarismo ou adventismo resulta em um fanatismo dificilmente compreensível para aqueles que não compartilham da visão do fim iminente.
i) Os grupos de espiritualidade pentecostal (as Assembleias de Deus, a Luz do Mundo, os Nazarenos, etc...) dão muita importância aos sinais exteriores do "poder do Espírito" como o fala r em línguas, o transe místico, as visões, as choradeiras, etc... A seita exerce uma sugestão poderosa sobre os seus para que se produzam estas manifestações de forma contínua nas reuniões dos adeptos.
j) A seita obriga seus membros a uma ação direta de proselitismo de porta em porta, nas estações de metrô, pelas ruas, etc... como forma de ganhar novos adeptos e de fortalecer a convicção dos membros. Frequentemente controlam os resultados do proselitismo de forma pública dentro da comunidade, o que serve de pressão aos membros menos inclinados a estar molestando estranhos com suas crenças particulares.
2. Seitas de espiritualidade oriental (os Hare Krishna, a Meditação Transcendental, o Brahma
Kumaris, a Missão da Luz Divina, os seguidores de Osho, os praticantes de zen, de yoga e de
tai-chi, etc...)
a) Estas seitas promovem nos seus uma adesão religiosa à figura do guru ou mensageiro divino que se apresenta como único caminho para a realização.
b) Imprimem um rigoroso ascetismo e receitam longas horas de meditação ou exercícios tipo yoga que proporcionam um estado alterado de consciência no seus. São estes estados, combinados com a fragilidade emocional e psicológica do adepto, que fazem palpável e aceitável a ideia de um estado espiritual superior.
c) A dependência psicológica total dos adeptos à pessoa do guru faz com que entreguem seus bens materiais a seita em um gesto de abandono pouco sã. Hão ocorrido casos escandalosos de abuso sexual e ruína psicológica e emocional em alguns grupos (vg. os seguidores de Osho).
d) Há uma insistência em ideias absurdas como a reencarnação, a projeção astral, a leitura das
áureas corporais, etc...que faz o adepto crer que possui dotes espirituais sobrenaturais que na realidade não existem.
e) Algumas das seitas obrigam seus membros a pedir esmolas ou a vender quinquilharias na rua para sustentar a seita. Normalmente são obrigados a romper todo laço de comunicação com seus familiares e como seu estilo anterior de vida.
3. Seitas gnosticas e ocultistas (a Grande Fraternidade Universal, a Sociedade Teológica, a Nova Acrópoles, etc...)
a) Estos grupos costumam se apresentar através de conferências e publicações sobre temas esotéricos. Seus conferencistas sempre se apresentam com credenciais de cientistas, espertos, doutores, etc... quando normalmente são uns charlatães profissionais.
b) Fundamentam-se na ideia de que um grupo seleto de indivíduos possui a chave secreta do conhecimento universal. Estes "privilegiados" se revestem de títulos, de símbolos, de palavras estranhas, e de ritos de iniciação que pressupõem um entendimento superior. No fundo, o absurdo e o irracional de suas pretensões se encobrem em um ambiente deliberadamente misterioso e obscuro para dar a impressão de algo sobrenatural.
c) Misturam-se elementos maçônicos, orientais e ocultistas nestes grupos. Seus adeptos costumam ser soberbos e raros.
4. Seitas utópicas (a Igreja da Cientologia, Danamhur, os Meninos de Deus, a Igreja Universal e triunfante, Findhorn, Esalen, etc...)
a) O único que estas seitas possuem em comum é a convicção de que encontraram o caminho de uma vida perfeita, seja por meio da liberdade absoluta, do amor perfeito, da superação pessoal, ou que quer que seja. Protegem suas comunidades com bastante zelo e a controlam internamente por una rede de espiões e de provas de lealdade que pesam fortemente nas consciências dos seus adeptos.
b) São muitos proselitistas e costumam projetar uma imagem muito favorável de seu fundador ou líder. Promovem suas obras escritas como tesouro para a libertação definitiva de humanidade.
c) Grande parte destas seitas se movem exclusivamente pelo desejo de lucro pessoal sem que lhos importem muito a veracidade de suas afirmações ou o dano que ocasionam a seus membros.
d) Os adeptos destes grupos costumam ser estranhos, obcecados por uma ou duas ideias chave de suas seitas, extremamente defensivas frente a ataques ou críticas e sumamente ambiciosas. Os membros da Cientologia, por exemplo, andam com um olhar perdido, um sorriso artificial, de plástico, uma visão muito superficial da realidade, reagem violentamente frente a qualquer crítica, e provocam o desequilíbrio mental e emocional.
As seitas Testemunhas de "jeová" e Mormons, na verdade, não são comunidades cristãs, são consideradas, na verdade, "Seitas paralelas à Reforma protestante"; essa é até uma classificação amena e conceituai, isso pelo fato de conterem entre suas teses elementos advindos das seitas protestantes cristãs das quais se desligaram. Ambas são heréticas, anti-cristãs, possuem versões próprias e adulteradas da Bíblia e negam as verdades fundamentais do cristianismo, a saber: A divindade de Jesus, a Trindade e a Salvação pelos méritos salvíticos da Cruz do Cristo. Ou seja, Jesus não era Deus, a Trindade é uma crença pagã e Jesus não salvou e nem salva. Em suma, muito embora cegos e doutrinados para isso, são hereges sob qualquer aspecto justamente por se apoiar em heresias que desde o terceiro século já caíram, como o arianismo e o fideísmo, entre outras.
P.s 1 àqueles que estiverem interessados em aprofundar o assunto, me envie um email.
consebe.org@gmail.com.Tenho um livro muito bom sobre Heresiologia. Informo também o meu Blog em espanhol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”