Total de visualizações de página

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Aparição de S. Miguel Arcanjo - Meu pessoal protetor - Festa 8 de Maio




Aparição de S. Miguel Arcanjo

A igreja Católica tem em alto conceito a devoção aos santos anjos. Acredita na sua existência que é provada por muitas citações bíblicas, tanto no Antigo como no Novo Testamento. Sabe e ensina que, os anjos, como santos mensageiros de Deus, desempenham uma missão especial em nosso favor. São nossos protetores, nossos defensores, do corpo e da alma, em todos os perigos, principalmente na hora da morte.

Como um dos primeiros, senão o primeiro e mais eminente dos espíritos celestiais, os livros sagrados nos apresentam S. Miguel. O profeta Daniel dá a S. Miguel o titulo de Príncipe dos Anjos, e a Igreja enumera-o entre os Arcanjos. Seu nome tem o significado de: “Quem é como Deus?” pois foi S. Miguel que se pôs a frente dos anjos fiéis contra Lúcifer, o chefe dos anjos rebeldes, em defesa da autoridade de Deus. S. Miguel, portanto, é um espírito guerreiro, arauto de Deus, e Príncipe dos exércitos celestiais. A arte cristã o apresenta como tal, em uma armadura brilhante, com lança e espada, em voo como de mergulho se precipitando sobre o dragão infernal e, fortemente o investindo, fazendo-o sentir o vigor irresistível do pé vitorioso, arremessando-o às profundezas do inferno.

S. Miguel pelos judeus era havido como protetor do povo eleito. Segundo o Apóstolo S. Judas (v9), o cadáver de Moisés estava entregue aos cuidados do Arcanjo. Foi este mesmo Arcanjo, quem apareceu a Josué antes da tomada de Jericó e lhe prometeu seu auxilio; foi S. Miguel, quem se opôs a Balaam, quando ia amaldiçoar o povo de Deus. Heliodoro experimentou a força vingadora do Arcanjo, quando se aparelhou para praticar o roubo sacrílego do templo.(2Mac – 3,25).

Da sinagoga é do povo eleito a missão de S. Miguel se transferiu à Igreja de Cristo. Numerosas são as suas aparições registradas na historia da Igreja. Seu nome é mencionado várias vezes no Sacrifício da Santa Missa. No “Confiteor” o sacerdote se dirige ao arcanjo S. Miguel, e invoca sua intercessão junto a Deus. Sobre o incenso, na Missa Solene é invocado seu nome. Ao Santo Anjo, isto é, a S. Miguel o sacerdote logo depois da consagração se dirige, com o pedido de levar o santo sacrifício ao altar sublime de Deus. Terminada à Missa é rezada uma oração especial onde o povo pede a S. Miguel que o defenda no combate; cubra-o com seu escudo, contra os embustes e ciladas do demônio; precipite ao inferno a Satanás e aos outros espíritos malignos que andam no mundo para perder as almas.

S. Miguel é ainda o patrono dos agonizantes, o guia das lamas dos defuntos para o céu, como faz lembrar o texto do ofertório da Missa “Requiem”, (Missa dos Defuntos).
Na historia da Igreja são mencionadas duas aparições de S. Miguel: Uma ao Papa Gélasio I no monte Gargano. A festa de hoje é a da consagração da Igreja de S. Miguel naquele lugar. Mais conhecida e outra aparição de que foi dignado São Gregório o Grande, em ocasião de em Roma grassar uma grande peste.


S. Miguel apareceu ao Papa no castelo de Santo Angelo e em sinal de cessão da epidemia, meteu a espada na bainha. Realmente a epidemia imediatamente parou de fazer vitimas.

Oremos:

"São Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, sede nosso auxílio contra a malícia e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e Vós, Príncipe da milícia celeste, pelo divino poder, precipitai no Inferno a Satanás e os outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas”. Amém!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Todo o conteúdo destes Blog é livre para uso, até porque o Espírito Santo não cobra 'Direitos Autorais' ”